14 de novembro de 2011

Seria Deus justo exigindo do homem o que ele não pode cumprir?


O título deste post é literalmente uma pergunta dirigida a mim por um irmão, em outro local de debate. O que segue é minha resposta, editada apenas para preservar a identidade do referido irmão:

Devemos cuidar para que nossas crenças derivem da Palavra de Deus e não de pressupostos humanos. No caso em apreço, o irmão está adotando o pressuposto "dever implica poder". O que devemos nos perguntar é: este é um princípio bíblico ou é um argumento filosófico humanista que incorporamos acriticamente à nossa visão de mundo?
 
A primeira coisa que eu pergunto é: onde a Bíblia ensina que dever implica poder? O irmão citou um versículo da primeira carta de Paulo aos Coríntios, o qual examinarei em seguida com mais cuidado, mas uma leitura simples com essa pergunta em mente mostra que nesta passagem a Deus não ensina este princípio. 
 
A segunda coisa que podemos questionar é: em que se baseia a nossa obrigação diante de Deus, em nossa capacidade ou na autoridade do Senhor. É claro que Deus como soberano absoluto pode exigir qualquer coisa de Seus súditos, por exemplo, Deus poderia exigir de nós, sob pena de danação no inferno, que saltássemos da Terra à Lua três vezes por mês. E quem de nós teria o direito de questioná-lo quanto a isso? Claro que em sua linha de pensamento o irmão dirá que isto faria de Deus um déspota, sádico e cruel, além de outros adjetivos que homens deveriam temer de atribuir a Deus.
 
Com todo respeito, considero uma leviandade perigosa dizer "se Deus faz isso, então Ele é mau". Ainda mais quando, no assunto em que estamos tratando, Deus exige do homem coisas que este é incapaz de fazer. Isso mesmo, Deus exige do homem aquilo que este não tem condições de cumprir em sua condição de caído. 
 
Por exemplo, o cumprimento da Lei. Quando Deus exigiu dos judeus (menciono os judeus para não entrar na questão da aplicabilidade da Lei) que guardassem a sua lei, eles eram capazes de guardá-la? Houve, em toda a história da humanidade uma única só pessoa, além de Jesus, que guardou a lei perfeitamente? Me diga, alguém conseguiria guardar a Lei de Deus de forma perfeita? No entanto, é isto que Deus exige. 
 
Sabemos que Deus exige do homem que não peque. A Bíblia diz "não pequeis". Reiteradas vezes lemos "sede santos". O mandamentos para sermos justos repete-se em inúmeros lugares na Bíblia. Não resta dúvida que que não pecar, mas ser justo e santo como o próprio Deus é um dever de todo homem diante de dEle. Mas me diga, quem é a pessoa que tem o poder de cumprir com esse dever? Por favor, diga-me onde eu encontro esta pessoa para que eu vá e o adore! 
 
Talvez o irmão queira limitar o assunto à questão da salvação. Deus disse "voltem para mim" e isto é sem sombra de dúvida um dever. Segundo sua linha de pensamento, para que Deus não seja injusto, todos os homens deveriam ter poder para isso. Mas Jesus, contrariando totalmente essa sua teoria diz "ninguém pode vir a mim, se Deus não o trouxer". Note que Jesus disse "ninguém", observe que Ele disse "ninguém pode" e registre que Ele disse "se Deus não o trouxer". Como disse Paulo, o mesmo que escreveu o versículo que você rasgaria de sua Bíblia caso Deus exigisse algo que o homem não fosse capaz de cumprir: "a nossa capacidade vem de Deus"
 
Eu poderia escrever e fundamentar mais a minha posição. Mas creio que isto basta, pois se fosse dar exemplos de coisas que Deus exige que o homem é incapaz de cumprir por si mesmo, a lista cresceria grandemente.
 
Soli Deo Gloria 

Clóvis Gonçalves é blogueiro do Cinco Solas e escreve no 5 Calvinistas às segundas-feiras.

11 comentários:

  1. Seu problema está numa terrível petição de princípio:

    1 - Deus é justo, e tudo que Ele exigir é justo.
    2 - Deus pode mandar alguém encher o pneu de um trator usando só a boca e os lábios para soprar ar na câmara.
    3 - Mesmo que eu seja incapaz de tal, Deus ainda é justo.

    Mais pra frente vou refutar este texto como se deve, mas por ora fique com O Massacre dos Cananeus de William Lane Craig.
    Seu problema é crer que a premissa 2 é verdadeira. Isto é voluntarismo - típico do islamismo e não do cristianismo - e não tem nada a ver com a fundação da moralidade. Claro, num contexto de moralidade objetiva (como proposta por Kant), a moralidade divina passa a ser definida a partir da bondade de Deus e não de seu "capricho".

    ResponderExcluir
  2. Ei, "credulo", não há petição de princípio porque não há uma conclusão derivando de premissas. O que há é um pressuposto: Deus é justo.

    Aliás, nem no seu "silogismo". Para que servem 2 e 3A no "argumento" para que de 1 se chegue em 3B? 3B seria, no máximo, uma consequência de 1 apenas, o que não forma um argumento. Porém, na verdade, nem é isso (pois não é, de fato, uma consequência). É o mesmo pressuposto, o mesmo axioma.

    O texto do Clóvis toma tal axioma e afirma a partir dele. Não há, pelo menos aqui, argumentos para se provar a justiça de Deus como num "Deus é justo, então Deus é justo" (o que seria de fato petição de princípio).
    Em outras palavras, o texto afirma, biblicamente, que Deus é justo. E, também biblicamente, que Deus exige de nós o que não podemos cumprir. Se ambos são verdadeiros (e os tomamos por verdadeiros), então eles não são excludentes (ou contraditórios, embora o paradoxo permaneça a alguns).

    Quanto à sua afirmação de que o "problema é crer que a premissa 2 é verdadeira", ela é bastante descabida. Pelo menos como você a põe. Estamos a falar de uma possibilidade lógica em função da soberania? Se é só isso, então posso tomá-la por verdadeira. Mas não é possível a um cristão tomá-la por verdadeira isoladamente. A forma mais simples de redimir sua afirmação é acrescentar: "se assim exigisse Sua justiça".

    O que me leva à sua última afirmação. Não é por conta de um contexto kantiano que "a moralidade divina passa a ser definida a partir da bondade de Deus". Deus é e atua conforme Sua natureza. Sua justiça não pode ser sem Sua bondade e vice-versa (para não falar de outros atributos divinos).

    Não conheço a "carga" do que vem sendo discutido, se é que você é o interlocutor do Clóvis. Mas isto importa pouco aqui. Acho mesmo que você deve, se puder, "refutar este texto como se deve". Mas será bom você elaborar melhor seus argumentos.

    A Deus a glória!

    ResponderExcluir
  3. A escrita foi ruim, admito.
    1 - Deus é justo.
    2 - Tudo o que Deus exige é justo.

    Olha como seu exemplo é bobo: "saltar a lua três vezes num mês" - que valor moral há nisto? Eu posso colocar a besteira que quiser ali - "pentear macaco com pinça de porcelana chinesa" ou o que seja - e o silogismo seria válido.
    Mas o lance é que Deus não vai mandar eu fazer estas "besteiradas lógicas".
    Deus é regido pela Sua santidade, e não pela Sua "birra".
    O que Ele ordena é santo, e o que é santo é justo. Logo, se não é justo, não é santo, e assim sendo não é de Deus.

    Para que seu argumento se safe, basta você me provar que "um ser humano pular a lua três vezes por mês" é justo. E aí, topas?

    E eu apenas citei um argumento moral, o de Kant. Mas é um detalhe...

    Mas, voltando: Deus exige santidade dos homens, mas isto se torna impossível por causa deles mesmos que se entregam ao pecado. A
    "incapacidade" é por culpa deles mesmos. É que nem você mesmo se jogar num fosso para não ter que trabalhar, foi você que se colocou nesta situação. Não é como ficar doente de febre e não ser capaz de trabalhar.

    Resumindo a ópera: a moralidade dada aos homens se baseia nas ordenanças de Deus, *mas as ordenanças de Deus são baseadas em Seu caráter santo e justo*.

    ResponderExcluir
  4. Clóvis,
    Eu publiquei o primeiro porque, apesar do erro, fazia sentido. Agora não faz nem parece que ele entendeu. Até porque acho que ele, o crédulo confuso, está me confundindo com você. Estando ou não, deixo o resto contigo, ok?
    Grande abraço, confrade. Estou com saudade de papearmos mais que por blogs.
    NEle,
    Roberto

    ResponderExcluir
  5. Como se pode crer no Evangelho se fé é um dom de Deus? Como arrepender-se se é ele que sabe o pensamento que tem sobre nós?
    Não vejo nada de injusto Deus exigir do homem aquilo que ele não pode fazer, e os que usam tal permissa não relevam que o homem que pecou para que tenha que se arrepender e foi o homem que megulhou por caminhos obscuros para que tenha que crer.
    Com os conceitos soterologicos invertidos muitos colocam mortos espirituais no reino de Deus e obras para uma salvação claramente graciosa. Não estou falando que a revelação da eleição soberana mesmo que revelada não deixe de ser um mistério.
    Muito bom o texto.

    Paz e Graça.
    Bryan.

    ResponderExcluir
  6. Refutando o anônimo Bryan:
    Se por acaso ele se refere a Efésios 2:8, me desculpe, mas o dom de Deus ali mencionado é a graça e não a fé. Análise semântica FAIL!
    E quanto ao seu "não leva em conta a queda humana", fale por você. Eu levo sim - o homem caiu por si só, e portanto ele ainda é responsável apesar de incapaz. E isto é justo.

    "Soteriologia invertida" é a sua - chamar de graça algo que é claramente voluntarista e sectário. E mistério por mistério, eu prefiro o mais bem resolvido, e não um "não sei, só sei que foi assim".

    Ah sim, já escrevi a refutatio no meu site. Clique acima!

    ResponderExcluir
  7. Credulo

    Hipoteses são com vc diz FAIL, mas as Escrituras não → Fp 1:29, Ef 6:23 → Agora me diga o que seu sestema soteriologico importado da ICAR tem a dizer? Existem vários outros mas este eu quero ver sua performace na filosofia.

    Mistério por mistério eu prefiro aqueles que a Biblia deixa bem claro. Entre o Iluminismo e o Biblia ela, pois ela me alerta quanto a isto(2 Co 10:5).

    Paz e Graça.

    .::::Bryan::::.

    ResponderExcluir
  8. Credulo

    "Diante de todos eles(mistérios biblicos), procuro calar-me onde os escritores bíblicos se calaram, após esgotar toda análise das partes do mistério que foram reveladas. Não estou dizendo que não podemos ponderar sobre o que a Bíblia não fala – mas que o façamos conscientes de que estamos apenas especulando, no bom sentido, e que os resultados dessas especulações não podem ser tomados como dogmas."

    SOLI SCRIPTURA

    .:::Bryan::::.

    ResponderExcluir
  9. Guerra de posts! Guerra de posts! Acho que vou guardar por via das dúvidas...

    "Hipoteses são com vc diz FAIL, mas as Escrituras não → Fp 1:29, Ef 6:23 →"

    E no que estes dois versos te ajudam?

    "Agora me diga o que seu sestema soteriologico importado da ICAR tem a dizer?"

    Culpinha por associação. Posso dizer que o seu sistema foi criado por um assassino (que diga-se de passagem era romanista) e propagado por um mentiroso que adulterou a Bíblia, mas isto não é argumento, é babaquice.

    "Existem vários outros mas este eu quero ver sua performace na filosofia."
    Vai ficar querendo!

    "Mistério por mistério eu prefiro aqueles que a Biblia deixa bem claro."
    Então me conta onde está clara a expiação limitada e o voluntarismo divino. Vamos, me conta! Já dei a dica de ler O Massacre dos Cananeus de William Lane Craig, mas acho que cê nem viu...

    "Entre o Iluminismo e o Biblia ela, pois ela me alerta quanto a isto(2 Co 10:5)."

    Iluminismo? Iluminismo?? Aonde você acha que vai chegar com essas acusações infundadas?


    "Paz e Graça."
    Si vis pacem, para bellum.

    Quanto ao seu segundo post: onde ele está na tua Bíblia? Hein? Não és SolaScriptura?

    ResponderExcluir
  10. Iluminismo? Iluminismo?? Aonde você acha que vai chegar com essas acusações infundadas?

    Ironia por ironia as mesmas não começaram a partir da minha pessoa.

    E no que estes dois versos te ajudam?

    Não ajudam somente eu mas a todos que são eleitos pelo SENHOR, na revelação deste grande mistéio. Fé um dom de Deus, como qualquer dom sobrenatural (Graça, Justificação,etc), usando você agora semântica ou não, estes estão mais claros. E gostaria de saber o porque do texto de Ef 2 em que o dom de Deus referido lá é a Graça?

    Quanto ao seu segundo post: onde ele está na tua Bíblia? Hein? Não és SolaScriptura?

    Não é da Bíblia mesmo, somente um trecho extraído do post do Rev Augustus Nicodemus(geralmente sempre coloco o nome do autor entre pararenteses, mas neste caso realmente me esqueci) que achei conveniente ao assunto. Sim, sou adepto da SOLA SCRIPTURA! Palavras apontam para conceitos.

    .::::Bryan::::.

    ResponderExcluir

Sua opinião sobre este post é muito importante. Para boa ordem, os comentários são moderados e somente são publicados os que forem assinados e não forem ofensivos, lembrando que discordar não é ofensa.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.