7 de julho de 2011

Quem foi Cornelius Van Til?

Poucos cometeriam o terrível erro estratégico de publicar uma monografia em blog. Eu provavelmente seria um desses idiotas. Mas, enquanto pensava sobre o post de hoje, achei por bem selecionar um trecho de trabalho monográfico, que traz uma mini-biografia de Cornelius Van Til - apologeta cristão que passou a ser publicado em língua portuguesa agora em 2011 (pela editora cultura cristã). Por se tratar de um "ctrl c + ctrl v", não me preocuparei em trazer as notas de rodapé.


O trabalho, em seu conteúdo geral, versa sobre uma abordagem vantiliana em comparação com outra, de Francis Schaeffer. Talvez na próxima semana role uma biografia resumida deste segundo autor. Por ora, vai uma apresentação pequena de Van Til.

•   •   •


Cornelius Van Til nasceu na Holanda, em um lar marcado pela fé reformada. Descreve um pouco de sua história no livreto “Por que creio em Deus”, e demonstra a educação cristã que lhe foi dada por seus pais. Tendo se mudado para os Estados Unidos ainda na infância (Highland, Indiana), ali cresceu e se desenvolveu nos estudos, graduando-se no Calvin College, cursando o Calvin theological seminary, e concluindo os estudos na Princeton University – onde poderia unir os estudos da universidade e do seminário.
Van Til foi ordenado pastor em 1927 pela Christian Reformed Church, e foi transferido como ministro para a Orthodox Presbyterian Church em 1936. Tornou-se professor do Princeton Theological Seminary em 1928, mas logo saiu por ocasião da influência liberal e as políticas instituicionais. Embora também tenha trabalhado em escola cristã primária e secundária, passou a maior parte de seu ministério ensinando no Westminster Seminary (1929 - 1972).
As influências do pensamento de Van Til são rastreadas por seu discípulo, apologeta, e também professor do WTS, John Frame. Em suas leituras teológicas, são mencionados Abraham Kuyper e J. Gresham Machen, cuja perspectiva e prática sobre a noção de antítese encaminharam muito do pensamento vantiliano.

O conceito de antítese em Van Til pode ser entendido como uma continuação da obra de dois homens que tiveram grande influência sobre ele: Abraham Kuyper e J. Gresham Machen. Kuyper devotou muito de seu pensamento à antítese e à graça comum. De fato, ele também devotou muita ação à aplicação destes conceitos na igreja e sociedade. O insight fundamental de Machen foi o ponto altamente antitético de que o Cristianismo ortodoxo e o liberalismo teológico não são duas posições teológicas cristãs divergentes, como o Calvinismo e o Luteranismo, mas duas religiões diferentes, radicalmente opostas uma à outra. […] Van Til aplicou este pensamento “antitético” à neo-ortodoxia e outros movimentos teológicos .
(tradução livre - FRAME, John. Van Til on antithesis. Westminster Theological Journal, vol. 57, n. 1, Spring 1995, pp. 81-102.)

Também no âmbito teológico, é possível mencionar a influência de Geerhardus Vos, de quem recebeu uma base exegética sólida e teologia bíblica robusta para suas empreitadas teológico-filosóficas.
Seu treino filosófico tem influência de W. Harry Jellema, seu professor no Calvin College (e também professor de Alvin Plantinga, 30 anos depois), e Archibald A. Bowman, filósofo idealista e seu orientador na Princeton University. Possivelmente a influência de Bowman se fez presente na linguagem de Van Til, que por vezes utiliza expressões do idealismo – o que lhe rendeu algumas críticas.
Frame desenvolve um esboço do pensamento de Van Til, baseado em quatro tópicos principais, com seus devidos subpontos (Figura 1). O projeto vantiliano, assim apresentado, trabalha o conhecimento em sua relação com Deus e Sua Palavra, bem como o desenvolvimento de uma abordagem daí decorrente para a apologética. A divisão da teoria vantiliana desta maneira, deve-se frisar, embora pedagógica, é questionada por muitos, que consideram a unidade do sistema como ponto fundamental. Frame toma a liberdade de utilizar a “herança” recebida e criticá-la ou alterá-la nos pontos que considera defeituosos ou incompletos.
Fig. 1: esboço do pensamento vantiliano. Adaptado de John Frame.
Conforme o Dr. Davi Charles Gomes, “sua maior contribuição talvez seja no desenvolvimento de uma apologética conscientemente bíblica e reformada, com pressupostos filosóficos e teológicos claramente examinados”. Ele faleceu três anos após Francis Schaeffer, de quem foi professor no Westminster Seminary.

2 comentários:

  1. Allen,

    já estou com água na boca para as próximas postagens. Muito bom!

    Abraços!

    ResponderExcluir

Sua opinião sobre este post é muito importante. Para boa ordem, os comentários são moderados e somente são publicados os que forem assinados e não forem ofensivos, lembrando que discordar não é ofensa.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.